Pole dance e aceitação: Grazzy Brugner fala sobre o empoderamento feminino na dança

Conversamos com Grazzy Brugner, professora de pole dance e precursora da modalidade no país. Ela falou da importância da dança para empoderar as mulheres e como ela desperta o que tem de melhor em cada uma.

Nessa sexta-feira (27/03) a Sté da Vibre, Mulher! conversou com Grazzy Brugner, professora de pole dance, CEO do Studio Grazzy Brugner, a primeira escola de pole dance do Brasil, e precursora da modalidade no país! 

O bate papo foi sobre a importância desse estilo de dança para empoderar as mulher de várias formas diferentes. E a própria Grazzy é testemunha disso. 

Ela sempre foi uma mulher sensual que, quando dançava na balada, deixava todo mundo de queixo caído. Mas bastou um simples comentário do seu ex-namorado para abalar sua confiança: “Não se empolga, você está chamando muita atenção.”  

Depois disso, a professora passou a dançar apenas para ela mesma, em seu quarto. E foi o pole dance que devolveu e ela a força e certeza de que ela poderia ser quem quisesse. 

Todo mundo pode fazer poli dance! (Foto: Instagram @grazzybrugner)
Todo mundo pode fazer pole dance! (Foto: Instagram @grazzybrugner)

Como tudo começou

No começo, a única referência do pole dance no Brasil era Alzira, personagem de Flávia Alessandra na novela Duas Caras. E nem foi lá que Grazzy conheceu a modalidade. Ela estava procurando na internet novas aulas para dar na academia em que trabalhava quando se deparou com uma dançaria se aventurando no pole. 

“Foi amor à primeira vista. O pole dance que me escolheu para empoderar mulheres a partir da dança.” E para alcançar esse objetivo ela teve que desafiar muita gente, como a família e até o ex-marido. 

Porém, quem realmente encorajou Grazzy a explorar tudo dessa dança foram suas alunas. No começo ela acreditava que as aulas poderiam ser apenas físicas, com um exercício, para depois descobrir que o que as mulheres queriam mesmo era a dançar!

Essa vontade quebrou o próprio paradigma de Grazzy. “Por conta dos rótulos me fechei e ignorei toda a parte sensual do pole.” Ela começou a desenvolver coreografias para as aulas e cresceu muito no ramo, tornando-se uma das principais referências do Brasil.


Você é possível de coisas que nem acredita (Foto: Instagram @grazzybrugner)

O empoderamento

“Já teve marido que chegou nervoso no meu estúdio perguntando ‘o que você fez com a minha mulher?'”

A cada aula, mais empoderada você fica. As alunas evoluem a cada momento, pois o pole dance sempre desafia com novos movimentos e obstáculos. 

As mulheres passam a confiar cada vez em suas atitudes e no próprio potencial, vibrando umas pelas outras em uma rede de sororidade. “O amor próprio das alunas fica maior e homens não sabem lidar com mulheres da nossa geração, eles não são maleáveis”, explicou Grazzy. 

Ela relata que muitas mulheres agradeceram pela mudança de vida que tiveram, desde sair da depressão, aumentar a autoestima e até terminar um relacionamento ruim.

“Isso tudo muda quando a pessoa se deixa aprender a modalidade.”

Posso fazer também?

Claro que pode! Segundo Grazzy, nada pode te impedir de praticar a dança. Ela tem alunas com tendinite e até com hérnia de disco! Você só precisa tomar cuidado, ter um profissional confiável te acompanhando e evoluir no seu próprio tempo.