Como surgiu o vibrador? Conheça a história do filme "Histeria"

Você sabia que a masturbação era um tratamento médico? E que o vibrador nasceu como um instrumento para melhorar esse tratamento? No filme vamos conhecer a história do vibrador e entender mais da sua importância na vida das mulheres.

O filme “Histeria” (Hysteria) estreou nos cinemas nacionais em 2012 e conta para a gente como surgiu o primeiro vibrador na Inglaterra no final do século XIX. 

A comédia romântica dirigida por Tanya Wexler tem participação de grande elenco como Maggie Gyllenhaal (The Deuce), Hugh Dancy (Hannibal) e Jonathan Pryce (Dois Papas) e Felicity Jones (A Teoria de Tudo). 

Na história conhecemos o médico Mortimer Granville (Hugh Dancy), um jovem entusiasmado com as novas descobertas científicas do século, mas que se vê perdido em uma época que não acredita em germes e bactérias. Depois de ser demitido do último emprego ele consegue trabalho em uma clínica especializada em medicina da mulher que tratava casos de histeria.

(Foto: Divulgação)Imagem do filme Histeria (Foto: Divulgação)

Grande parte da mulheres eram diagnosticadas com essa condição psíquica associada ao útero e a insatisfação sexual. Elas chegavam no consultório e relataram sintomas como melancolia, tristeza, ansiedade, falta de apetite e ninfomania (desejo sexual hiperativo). 

O tratamento indicado na maioria dos casos era uma massagem na vulva, técnica desenvolvida pelo médico holandês Pieter Van Foreest que tinha como objetivo massagear essa região até que a mulher atingisse o “paroxismo histérico”, ou seja, até que ela tivesse um orgasmo, assim elas estariam curadas. 

Mortimer começou a atender tantas mulheres com esse eficaz tratamento que sua mão ficou cansada e ele foi demitido por não conseguir fazer as mulheres sentirem prazer — opa, não conseguir curá-las da histeria. 

Sem querer, ao analisar os equipamentos de um amigo que amava novas tecnologias da época ele vê potencial em uma máquina que gera frequência de vibrações constante e começou a testar em suas pacientes.

O resultado foi tão incrível que o aparelho foi patenteado e distribuído em vários centros de medicina feminina para “tratamento da histeria”. 

Mas olha o que aconteceu!

Depois disso, graças ao sucesso do equipamento, o amigo de Mortimer desenvolveu um vibrador portátil que também começou a ser vendido para que as mulheres pudessem usar em casa. 

Ou seja, além do surgimento do vibrador, temos exemplos do que viria a ser a ginástica pélvica hoje em dia! O uso de vibradores nessa atividade é recomendado por especialistas. 

A fisioterapeuta pélvica Jéssica Gomes explica que as vibrações ajudam os músculos da vagina a se desenvolverem, evitando dores e condições como a incontinência urinária!

Antique Vibrator Museum

Como eram os vibradores da época (Foto: Divulgação Antique Vibrator Museum)

Ao lado da revolução na ciência e na tecnologia, o filme aborda o desenvolvimento do feminismo no país, movimento que busca igualdade de direitos entre mulheres e homens. 

Na tentativa de convencer Mortimer de que a massagem vaginal era, na verdade, dar prazer e não apenas um tratamento clínico, sua colega feminista Charlotte Dalrymple (Maggie Gyllenhaal) explica que os síntomas relacionados a histeria são apenas um reflexo da sociedade patriarcal que deixa suas mulheres em casa refém de seus maridos. 

Com a reação das pacientes ao tratamento, podemos ver a importância da masturbação na vida de uma mulher. O ato de se masturbar libera endorfina, dopamina e oxitocina, os hormônios da felicidade, e o desempenho físico aplicado na masturbação alivia a tensão e o estresse, ajudando a melhorar a ansiedade e a tristeza.

Confira o trailer abaixo! 

CONHEÇA NOSSOS PRODUTOS DE ÚLTIMA GERAÇÃO PARA UMA MASTURBAÇÃO SEM IGUAL!