Um relato de prazer

A gente tava sentado conversando na cama, você falando sério sobre a vida e eu reparando em cada detalhe do seu rosto, seus olhos, sua barba, mas principalmente na boca. Enquanto falava, delicadamente você acariciava minha mão, minha coxa e meu pé e essa mistura de sensações foi me enchendo de tesão e te beijei.

Você deitou e fui por cima, com meus peitos já direto na sua boca. Então você morde meus mamilos na intensidade perfeita, me deixa inteira arrepiada e com uma das mãos desce e me toca. O jeito como você me olha me deixa tonta. Eu estou muito molhada e você começa a me masturbar de uma maneira que amolece as minhas pernas.

Eu fico um tempo alí, gemendo no seu ouvido, até que você me deita ao seu lado e continua me tocando. Minha bunda roça no seu pau que já está duro e eu começo a entrar em um transe muito louco com você me tocando, me encoxando, beijando minha nuca e me dizendo putarias infinitas.

Você escorrega sua mão pra trás, mela minha bunda, meu cuzinho e volta pro meu grelo que já está duro. Eu não consigo raciocinar, estou completamente dominada quando você manda e eu apenas digo o que você quer ouvir: me come, por favor. Pedir para você me enrabar foi uma das coisas mais safadas que já falei na cama porque não tenho o costume de fazer anal na vida, muito menos no primeiro encontro, na primeira trepada, com um completo desconhecido.

Às vezes eu fico um pouco tensa e você me orienta a empinar a bunda e a relaxar. Me esfregando, sou quem dita o ritmo, além da sua mão na minha buceta. Eu sinto que estou escorrendo. Sem incomodo eu percebo que você está colocando seu pau e o seu gemido me faz querer muito. Eu mexo meu quadril e a cabeça da sua rola gostosa encaixa e você me avisa que talvez doa um pouco, mas eu não sinto nada além de um tesão louco.

E ali eu fico entregue, completamente excitada enquanto você controla tudo com calma. Estar nas suas mãos é uma sensação ótima. Eu aumento o ritmo, quero que você entre mais, penetre mais, coma meu cuzinho completamente inexperiente.

Você está muito excitado e começa a meter com mais força, vai narrando passo a passo o que está fazendo e a dor que eu sinto divide lugar com o prazer da siririca, com você suando encostando em mim e com a noção de que estou sendo uma verdadeira piranha, livre, cheia de tesão. Você pede pra eu ser sua putinha e nesse momento é tudo que eu sou, só sua. Sinto que vou gozar e eu mal te aviso e meu corpo inteiro começa a estremecer e eu te aperto, você mete mais forte, goza também.

Apenas um breve parágrafo, escrito num só fôlego, sobre a noite em que a gente se conheceu, em que gozei sem nem me preocupar com isso, em que dei meu cuzinho pra um desconhecido (gostoso pra caralho).

______________________________________________________________

Conto sem assinatura porque aqui a ficção passou longe.