O colega da academia

Por Isis Fiori 

Eu me divirto tanto na academia. É o lugar onde mais tem homens safados (e sedentos por sexo casual) por metro quadrado. A história que eu vou contar agora têm a ver com a academia, é sobre alguém que conheci lá.

Dias atrás comecei a treinar corrida com o grupo da academia e lá estava o Daniel: moreno alto, forte e dono de belas coxas. Ele aparentava ter mais de 40, solteiro o tipo boêmio, aposto! Eu logo me interessei, afinal, quem nunca fantasiou transar com aquele colega sexy da academia? Sendo assim, lá vou eu!

Daniel estava em todas as maratonas, corredor profissional, se ofereceu para me acompanhar nas corridas. Eu que ainda estava tentando correr os primeiros 5k, adorei a proposta, parecia ser um alvo fácil. Sou do tipo que inventa pequenos desafios para si mesma o meu atual era conquistá-lo, mas que fique claro! Eu queria sexo, não um relacionamento sério.

Menstruei com 13, e desde então sempre tive os quadris largos e seios fartos; pele morena e macia, longos cabelos cacheados. Agora, com 22, uso destes artifícios para provocar. Na cama, sempre consigo o que quero.

Eu logo percebi que Daniel estava interessado, ele não parava de olhar para a minha bunda. Sempre que eu me abaixava no alongamento, fazia questão de ficar na frente, ele tentava disfarçar, mas eu via o pau duro naquele short de academia.

Na semana passada, publiquei algo direcionado à ele nos stories do Instagram:

“Pare de me despir com os olhos, use seus dentes!”

Isso bastou para ele responder:
— Gostei da ideia!
Rebati com:
— Tô brincando… Ou não, você nunca irá saber…
— Pronto! Agora não tem mais volta.

Com minhas intenções bem claras, enviei uma foto da minha bunda, usando uma meia arrastão. Assim, de surpresa mesmo, arrematei com a legenda:

“Olha o que está perdendo!’

Ele ficou mudo por alguns minutos, para então responder?

— Louise, eu tô louco pra foder sua boceta, não tomei iniciativa antes porque pensei que você era casada, (!) preciso te comer logo!

Respondi que uma jovem de 22, gostosa e linda como eu, não tinha tempo para ser de uma pessoa só.

No outro dia, uma segunda-feira, o encontrei na academia. Daniel tentou chegar a tempo para a aula de spinning, mas não conseguiu. Fiquei triste pois tive que vê-lo de longe enquanto subia e descia da minha bike — aquele ritmo que facilmente poderia ser repetido na cama.

Na terça, logo pela manhã, fui direta como nunca antes:

— QUERO TE VER HOJE!

Ele respondeu na hora:

— EU TAMBÉM! Temos duas opções: malhamos e depois nos encontramos na praça em frente à academia ou usamos todo o tempo do treino para fazer outra coisa.

Respondi que preferia usar todo o tempo da academia trepando, afinal, seriam duas horas e queria gastar toda a minha energia com aquele homem.

Cheguei do trabalho, tomei um banho demorado, coloquei uma lingerie minúscula, short, camiseta e me preparei para o “treino”.

Às 19:45:

— Tô na frente da pracinha
— Que cor é o seu carro?
— Preto, tô com o farol ligado.
— Beleza! — Encontrei o carro e entrei. O beijei no rosto, estava um pouco nervosa, mas disfarçava bem.
— Ele olhou para mim:
— Pra onde a gente vai?
— Ué, achei que você sabia…
— Ok, vamos para o primeiro motel que aparecer no caminho
— Hm, nunca fui num motel — ele acreditou.
— Então hoje será um dia pra não esquecer!

Concordei, e logo chegamos.

— Moça, queremos esse quarto, “Love”.

No quarto, me joguei na cama:

— Vou te chupar todinha, sua delícia! Você é muito gostosa.
— Você não sabe há quanto tempo eu tô sonhando em chupar sua rola.
— Ah é, mesmo? Então você tava me querendo?
— Você nem desconfiou, né? Eu sou discreta — começo a passar a mão no pau dele por cima do short.
— Eu te notei desde o primeiro dia, gata…

Começamos a nos beijar, eu logo tirei a blusa e o short, ele foi beijando meus seios, puxou com destreza meu sutiã. Daniel estava ofegante, parecia ser sua primeira foda em meses, eu suspirava enquanto ele ia descendo as mãos e a boca pela minha cintura, sentia o calor da respiração dele até chegar em minha boceta. Eu, claramente estava molhada e suspirando de tesão.

O pênis dele era do jeito que imaginava: grande, na medida certa. Estava depilado, mas eu não ligo muito para isso. As bolas bem durinhas, eu sabia que dali ainda sairia muita porra. Comecei a massagear os testículos com os dedos levemente, enquanto o chupava, subindo e descendo no ritmo dele. Passei a língua bem molhada na glande, depois desci até engolir tudo. Sou um pouco competitiva, quando faço oral em alguém, gosto de pensar que ficarei na memória como a melhor chupada de sua vida. Isso faz com que meu desempenho seja sempre de alto nível.

Daniel metia com desejo, eu sentia o pau dele no fundo da minha garganta. A emoção era tanta, no fundo eu rezava pra ele não gozar rápido, porque eu só estava começando. Ele revirava os olhos.

Tá gostando do meu pau, tá? Hm, você chupa gostoso demais, sua safada!
Eu sou muito safada, percebeu? Eu quero a sua porra todinha na minha boca, você me dá?
Mas é claro, minha cachorra, mas antes ainda vou te comer bastante, tá?

Concordei, enquanto ele me levava para o meio da cama, puxou minha calcinha de lado e meteu os dedos com força.

Mas eu queria mais. Fiquei logo de quatro, e pedi:

Vem, mete tudo aqui, eu quero bem fundo, caralho!
Ah, é? Então você vai ter.


Ela queria apenas uma noite de tesão (Imagem: Instagram @regards_coupables) 

Começamos num ritmo acelerado que duraram alguns minutos, o fôlego não acabava nunca!

Suávamos em bicas. Pedi pra deitar um pouco, enquanto ele me chupava. Sua língua encontrou minha boceta molhada, ele fazia movimentos suaves, até encontrar a pontinha do meu clitóris. Segurei a cabeça dele e pedi para continuar, agora mais rápido. Eu me contorcia de tesão, segurei firme o lençol e gozei em sua boca. Aquela imagem vai ficar um bom tempo em minha mente.

Eu estava um pouco cansada, pedi um tempo para me recuperar. Respirei fundo, bebi um gole d’água, coloquei a calcinha e fui para um móvel confortável que tinha à minha frente. Sentei de costas e pedi:

Tire fotos minhas, assim, nessa pose.
Meu Deus, Louise! Eu não aguento, meu pau tá pulsando!

De longe ela sabia que seria uma foda deliciosa (Imagem: Instagram @regards_coupables) 

Em seguida levantei, apoiei meus joelhos no sofá, abri bem as pernas, levantei a bunda e coloquei as mãos sob o móvel. Daniel começou de novo, agora por trás.

Eu não cogitava fazer anal, mas aconteceu, meu tesão estava num nível onde tudo era permitido. Estava suada e molhada, ele metia com vontade enquanto esfregava meu clitóris. Ele se orgulhava de aproveitar cada centímetro do meu corpo, e eu ainda mais por ter planejado tudo.

Voltamos para a cama, dessa vez eu pedi para ir por cima — adoro cavalgar!

Sendo assim, sentei no pau dele e comecei a rebolar bem devagar, sentindo cada vez mais fundo. Ahh, que delícia!

— Isso, engole meu pau, sua safada!
— Claro que eu sento, gostoso! Eu sou todinha sua, aproveita que é só hoje, hein?

Ele colocava os dedos em minha boca, e eu chupava fazendo uma leve pressão.

Reviro os olhos, sinto ele todinho dentro de mim, molhado e quente. Eu não queria estar em outro lugar que não fosse naquele motel de beira de estrada, com aquele homem.

Ele segurava com as duas mãos no meu quadril e começava a meter mais e mais forte, eu não precisei fazer esforço algum. Por isso gosto de homens experientes, eles sabem o que fazer, e eu aproveito cada instante!

Daniel apertava minha bunda. Eu estava gozando no pau dele!

— Você vai beber minha porra?
— Vou, eu vou engolir tudinho, até seu pau ficar cansado dentro da minha boca.

Disse enquanto me contorcia.

— Então vem!

Desci até aquele órgão ereto e fiz meu trabalho com perfeição.

Muito melhor que academia (Imagem: Instagram @regards_coupables) 

Eu chupava enquanto o masturbava. Minha boca sentia a pele sensível, o êxtase estava para acontecer. Aquele segundo de prazer para ele, seria o auge do meu.

Finalmente senti a porra quente escorrer pelos meus lábios. Agora, ambos esgotados, caímos na cama. Grudados de suor e gozo, ele virou e disse que aquela noite valeu por dois dias de academia — eu ri, satisfeita. Espero que ele não me procure, apesar de ter sido bom, prefiro não repetir transa. Há uma infinidade de pessoas para conhecer e não vou me limitar a uma foda bem feita.

Tomamos uma ducha e ele me deixou em casa, aposto que irá sonhar a noite toda!

_________________________________________________________________

Isis Fiori é uma jovem que experimenta as pequenas coisas da vida e sabe que pro sexo ser bom, antes de tudo, é preciso se amar por inteiro.